Tente entender
70% de mim é água, o resto é um amontoado de neuras, paranoias, tédio, decepção, coisa e tal. Ananda Dias, 17 primaveras.

Eu quero blusas molhadas em um dia de domingo, chaves esquecidas em cima do criado-mudo, gavetas compartilhadas. Eu quero alguém que me peça para apagar as luzes do quarto, eu quero te importunar com a pasta de dentes esquecida no ralo da pia. Quero beijos, abraços, carinhos, mordidas, puxões de cabelo, arranhões e duas costas suadas e vermelhas quando a noite nos banhar. Eu quero rir do teu desespero ao se deparar com o primeiro fio de cabelo branco, e te acalmar dizendo que tua beleza ficará ainda mais evidente. Quero brigar, xingar, chorar, me arrepender. Mas que o arrependimento não dure mais que o tempo de ir à floricultura e te trazer suas rosas preferidas em sinônimo de perdão, que as lágrimas não falem mais alto que os sorrisos de quem ama. Antes de mais nada, quero arrumar uma desculpa boba para te ligar e ouvir a sua voz sonolenta. Quero te cobrir de elogios e me deparar com suas maçãs rosadas, quero bagunçar seu cabelo e tirar fotos suas forçadas. Serão as minhas preferidas. Quero assistir filmes nos dias de sol e dançar valsa sem som na chuva de inverno. Quero sentir o teu perfume naquela blusa horrorosa que você comprou e eu nunca deixei de usar. Eu quero dizer que te amo, e mais do que isso, quero te amar. Te amar quando você acordar de manhã e estiver sem maquiagem, te amar quando esconder o rosto de mim, te amar quando fizer manha para conseguir desmanchar o meu mau humor. Quero te pedir para que me deixe te cuidar quando estiver doente, te chamarei de teimosa por não tomar os remédios na hora certa e você me baterá de leve. Quero que me escreva cartas em anônimo, quero estar ao teu lado no porta-retratos da sala. Vou chegar estressado do trabalho e me derreter com as tuas insistências de carinho. Quero te ver descendo as escadas da nossa casa no campo e dizer, como se fosse a primeira vez: Você está deslumbrante. Quero acariciar o teu pescoço e te fazer fechar os olhos, correr atrás de ti só para fazer graça, bagunçar o sofá e quando cansarmos, eu vou te beijar e te fazer adormecer. Me declararei em silêncio todos os dias, olhando você dormir sem que me perceba. E quando chegar a hora, quero que pule em meus braços e diga que teremos que reformar o quarto de hóspedes. Nove meses se passarão e eu sentirei na pele o que é angústia, mas vou chorar de alegria quando o silêncio for rompido e eu ouvir um choro de criança. E depois, escolheremos o nome, pintaremos o quarto, escolheremos um berço. E você estará anda mais linda carregando um bebê com os seus olhos. Ele crescerá, me dará dor de cabeça e te fará ter inúmeros cabelos brancos, que agora você esconde com um óculos de grau e cabelos presos. Você arrancará seu primeiro dente de leite e eu descontarei uma moeda do bolso. Você me ajudará a fazê-lo dormir enquanto escondo os presentes embaixo da árvore de Natal. E quando ele já não acreditar mais, você me dirá que o tempo passou rápido demais. Depois do trabalho, vou preferir ir para o bar conversar asneiras com amigos barbudos, mas quando estes me perguntarem sobre a minha família, eu tirarei orgulhoso da carteira a foto que nós três tiraremos na praça da rua de baixo, exatamente onde demos nosso primeiro beijo. Estaremos juntos na porta do jardim em seu primeiro dia de faculdade. Seremos só nós dois outra vez, como há trinta anos atrás. E virão os netos, as alegrias, as lembranças, o álbum de fotografias… Esperar. Esperar para que o tempo desenrole as nossas rugas e nos faça eternos como almas. Há quem diga que o amor não vale a pena, mas também há quem diga que só valeu a pena porque amou.

Cinzentos

Quando eu olho nos teus olhos, eu simplesmente entendo o motivo pelo qual com os outros deu errado. Eu simplesmente consigo entender que é só com você que eu queria ficar. E permanecer.

Anne Sakamoto

Amor não se cobra. Atenção também não. Carinho muito menos. Tenha isso em mente.

Pedro Bial.

Você pode conhecer vinte caras bonitos e que te entendem muito bem, dez caras legais que cuidam de você como se fosse um diamante precioso, uns outros tantos inteligentes, atraentes, bacanas e engraçados em ordem aleatória. Nenhum deles te encanta. Por que? Falta o tão chamado click, aquele jeito especial que ninguém explica. Pode ser o jeito de mexer no cabelo, a forma como ele te olha, que conversa contigo ou até mesmo um jeito secreto que nem o profeta mais sábio percebe, mas que está lá, você pode ver. Entre tantos milhares, talvez um ou outro se salve ao filtro do ‘jeito’, e daí você percebe: é esse que eu quero abraçar e não largar mais, com quem eu quero me enrolar embaixo de cobertores e com quem eu quero dividir todos meus segredos. Baseado no que? Num jeito inexplicável ao resto do mundo.

Martha Medeiros.

Teve um dia em que eu decidi não ter mais expectativas. É que uma hora cansa acordar com o rímel borrado e olheiras sambando no meio da cara, entende? Chega um ponto em que a gente simplesmente entende que esperar muito faz doer muito.

Clarissa Corrêa.

Amar não é aceitar tudo. Aliás: onde tudo é aceito, desconfio que há falta de amor.

Vladimir Maiakovski.

O problema com as coisas é que todo mundo sempre está comparando todos a todo mundo.

As vantagens de Ser Invisível.

Se você me permite, aprendi com a vida que os gestos devem ser bonitos, as pessoas educadas e os amores verdadeiros. Se você me permite mais sinceridade, eu gosto das coisas como antigamente. Vou pegar calmamente na sua mão e sentir o momento. Vou mandar recados espalhados pela casa e esperar ver o seu sorriso. Vou romantizar a vida, porque lá fora ela já é feia demais. Vou me jogar de pontes que nunca pisei para dizer que é você ou mais ninguém. Vou arrepiar até a alma ao te ver passar. Os meus braços vão se abrir para te receber, sem a maldade ou segundas intenções premeditadas. Vou te acolher e me recolher em ti. Se você realmente me permite, eu vou te pegar pela mão e dizer que o “para sempre” começou agora mesmo.

Camila Costa

- O que é amor para ti então?
Fiquei calada. E me perguntava por que diabos teu nome não saía da minha cabeça.

Matheus Oliveira

- Eu te amo.
- E porque você me ama?
- Eu te amo porque você é meu. Eu te amo porque você precisa de amor. Eu te amo porque quando você me olha eu me sinto um herói, sempre foi assim. Eu te amo porque quando eu te toco me sinto mais homem do que qualquer outro.
- Eu também te amo.
- E porque você também me ama?
- Eu te amo porque quando eu te toco eu te faço sentir mais homem que qualquer outro. Eu te amo porque nunca poderam nos acusar de amor. Eu te amo porque pra entender o nosso amor precisaria virar o mundo de cabeça pra baixo. Eu te amo porque você poderia amar qualquer outra pessoa, mas mesmo assim você me ama. Só a mim.
- Só. Só.

Do começo ao fim